Os benefícios de plantar novas árvores são consideráveis para o ambiente, através da produção de O2 e consumo de gases poluentes como o dióxido de carbono, mas outros dos benefícios são o bem-estar mental, sendo comprovado em estudos hospitalares que, apenas ver uma imagem de uma floresta causa uma melhoria significativa no bem-estar mental dos doentes. Tendo em conta as vantagens da plantação de árvores, várias cidades como a de Campina estão a investir na plantação das mesmas e na criação de novos trilhos que podem ser percorridos de bicicleta.

Outra das modas recentes são o uso de bicicletas elétricas, que muitas vezes são consideradas como uma maneira de fazer batota mas que vários estudos comprovam que  é uma forma de exercício que obriga a um maior envolvimento muscular do que simplesmente andar, sendo esta uma das conclusões de uma publicação no Jornal Internacional de comportamento, nutrição e atividade física. apresentou.

Neste estudo de Jessica Bourne, estudante de doutorado do centro de pesquisa biomédico e de nutrição da Universidade de Bristol, foram examinados dezessete estudos que comprovaram que as e-bicicletas “forneciam atividade física de intensidade moderada, mas que era menor que a intensidade física durante a utilização de uma bicicleta usual, mas mais alta que apenas andar.”

Porém, a assistênciatecnológica poderá colocar pessoas anteriormente fisicamente inativas a pedalar e-bicicletas, sendo que as mesmas podem melhorar o aparelho cardiorrespiratório em indivíduos que praticam pouca atividade física, segundo o estudo. Apesar destas vantagens ainda é geralmente considerado que os que são mais fisicamente inativos são os únicos que usam e-bicicletas, o que foi comprovado como uma ideia errada por um estudo realizado em Maio de 2018 na Universidade de Basel na Suiça, que demonstrou que o uso regular da bicicleta motorizada tem os mesmos benefícios a nível de saúde que utilizar uma bicicleta regularmente. Após quatro semanas de utilização de e-bicicletas os participantes com sobrepeso mostraram melhorias a nível cardiorrespiratório e estas melhorias eram pouco diferentes das encontradas no grupo que utilizou bicicletas não motorizadas. Estas vantagens não são apenas a nível físico, mas também a nível psicológico, e estas vantagens serão aumentadas se forem associadas a outras intervenções como por exemplo, a plantação de mais arvores as cidades e a criação de mais trilhos.

Apesar de tudo é comprovado que as bicicletas motorizadas são utilizadas por pessoas que geralmente realizariam a viagem de carro, ou seja, o grupo de clientes que esta invenção afeta não é dos utilizadores de bicicleta, mas dos utilizadores de automóveis, diminuindo assim também a emissão de CO2.

O género de iniciativas como a de Campina, que promove uma maior plantação de árvores ocorre já em várias cidades a nível mundial, sendo que a cidade de Manchester, no Reino Unido é considerada a terceira maior cidade a nível de população, e existe um programa que pretende plantar uma árvore por cada um dos seus habitantes, ou seja cerca de 3 milhões de novas arvores, criando uma cidade mais saudável e mais agradável ao olhar. A este gênero de iniciativas seria interessante associar planos de divulgação das vantagens das bicicletas motorizadas, principalmente aos mais ávidos utilizadores do automóvel, para os quais entender as vantagens de utilização deste tipo de bicicletas poderia causar uma diminuição significativa na poluição das cidades, assim como uma maior utilização de trilhos.