O Brasil tem a maior praia do mundo. Esse é um fato que nem todos conhecem, porque a praia está mais para os fãs do “trekking” que para os banhistas, mas é possível que um número cada vez maior de caminheiros do Brasil e do exterior venha fazer essa rota.

Desde o balneário do Cassino em Rio Grande até ao Chuí, junto ao Uruguai, se estende um areal de 220 km, colocando o Rio Grande do Sul nos roteiros do pedestrianismo. Não é comparável à aventura de Edson Sorrentino, que está percorrendo todos os 10.000 km do litoral brasileiro do Chuí ao Oiapoque, mas isso está em outro nível, claro.

Existem várias empresas vendendo pacotes para fazer essa trilha incrível. Confira os detalhes gerais!

A origem do nome Cassino

A praia recebeu o nome do bairro do Cassino, que pertence a Rio Grande. No início da trilha, ainda é possível ver as ruínas do que poderia ter sido um dos maiores cassinos do Brasil. Entretanto, a proibição dos jogos de azar, em 1946, acabou com esse setor econômico, condenado o estabelecimento à ruína e causando grandes prejuízos.

Até hoje, o jogo continua proibido e só é possível acessar jogos de cassino através do br.netbet.com e outros sites semelhantes. Será que a liberação dos jogos de azar, que prevê a abertura de um grande “cassino resort” no Rio Grande do Sul, trará de volta o estabelecimento à praia de seu nome?

Roteiro

Tipicamente, a trilha demora 7 dias e 6 noites. Confira as principais etapas, de acordo com o pacote e o esquema apresentado pela Roraima Adventures.

No primeiro dia, começando nos molhes da Barra do Cassino, você faz 33 km até o primeiro acampamento. A partida é às 6h00 e a chegada às 19h; aí você pode ver como a proposta da Roraima Adventures é amigável e não exige um ritmo super apressado aos “trekkers”.

O segundo e o terceiro dia são muito idênticos, com previsão de 32 km e 36 km de rota, respetivamente. No quarto dia, você chegará no Farol do Albardão, já na região da Lagoa da Mangueira. Aqui você caminhará nessa estreita faixa de areia que separa a lagoa do oceano.

O 5º dia prevê uma caminhada de 32 km e o 6º, um pouco mais curto, será de apenas 26 km. No último dia, a lagoa termina e você chega em Hermenegildo, já adivinhando o final de sua viagem, com pausa para almoço em um bar conhecido na zona. A chegada aos molhes do Arroio Chuí está prevista para as 16h, e antes do jantar de finalização terá ainda tempo, se a Marinha autorizar, a fazer uma visitar ao Farol do Chuí.

Serão sete dias caminhando entre o mar, as dunas, os animais, sem encontrar quase ninguém pelo caminho; dependendo da altura do ano, poderá enfrentar alguma garoa, chuva ou vento. Para quem procura uma experiência de “corte” com a correria do cotidiano, entre as mídias sociais, o e-mail e toda a espécie de solicitações, essa é uma experiência e tanto!